Saving the small things that run the planet

Membership costs just £3 per month

Follow

Portugues

Ajude as abelhas e polinizadores selvagens Europeus

 

As abelhas e outros polinizadores são essenciais para alimentar a população humana e manter zonas rurais saudáveis. O declínio das abelhas, borboletas, traças, moscas-das-flores e outros insetos polinizadores têm ocorrido por toda a Europa, e é necessária ação urgente para abordar o problema e começar a reverter este declínio – queremos as abelhas, borboletas, traças e moscas-das-flores de volta!

 

A Comissão Europeia está a preparar uma “Iniciativa para os Polinizadores” – que tem o potencial de mudar a forma como a Política Agrícola Comum funciona, e melhorar substancialmente a regulação do uso de pesticidas. A Comissão Europeia e políticos da União Europeia precisam de saber o quanto os cidadãos se preocupam com as abelhas e os polinizadores para seja dada à “Iniciativa para os Polinizadores” a prioridade adequada e os recursos necessários. 

Por favor preencha o formulário e informe a União Europeia que queremos as nossas abelhas de volta!

 

CARREGUE AQUI PARA AJUDAR AS ABELHAS

Aqui estão as nossas sugestões de respostas!

 

Perguntas e respostas 

Parte I – Informações gerais sobre o respondente – Perguntas específicas sobre si!

 

Parte II – Polinizadores e as suas funções

 

Qs 1+2 – Perguntas especificas sobre si!

 

Q.3 – Os polinizadores são indispensáveis!

 

Justificação –

·         Polinizadores selvagens são responsáveis por pelo menos 80% dos serviços de polinização;

·         Uma em cada três garfadas de comida apenas existem graças aos polinizadores;

·         90% das espécies de plantas cultivadas são polinizadas por insetos;

·         62% das populações de flores silvestres estão atualmente a sofrer os efeitos da falta de polinizadores;

·         No Reino Unido já não há polinizadores selvagens suficientes, o que resulta na perda de 5 milhões de libras só em maçãs, por exemplo;

·         Abelhas, besouros, borboletas e outros insetos são criaturas incríveis e temos de parar de os empurrar em direção à extinção.

 

– mais sobre a importância dos polinizadores no relatório da IBPES aqui.

 

Q.4 – Apenas alguns milhões de Euros são investidos para apoiar flores silvestres e polinizadores em áreas agrícolas na União Europeia, por isso os 15 mil milhões de Euros que são providenciados em serviços ambientais seriam excelente valor pelo dinheiro. No entanto, o declínio de polinizadores já está a afetar a produção agrícola (por exemplo na Finlândia), e há uma clara falta de investimento na preservação da biodiversidade e deste importante serviço ambiental. O investimento nos polinizadores deve ser aumentado ao ponto que permita a recuperação das populações de polinizadores.

 

Q.5 – Polinizadores domesticados contribuem menos que polinizadores selvagens. Apesar de existirem poucos estudos concretos, todas as estimativas apontam para os polinizadores selvagens polinizarem a maioria das culturas ao ar livre e flores silvestres; alguns estudos indicam que os polinizadores selvagens contribuem para 90% dos serviços de polinização. Abelhas domesticadas são polinizadores importantes em zonas perto de áreas urbanas e estufas. Uma abelha solitária é 300 vezes mais eficaz a polinizar flores de maçã que uma abelha de mel. Mais sobre polinizadores domesticados e selvagens aqui, aqui e aqui.

 

 

Parte III -  Declínio dos polinizadores, as suas causas e consequências

 

Q.6 – O declínio atual da diversidade e abundância de polinizadores é - Alarmante!

 

Abelhas, borboletas e traças estão todas em declínio e há indícios que esses declínios podem tornar-se rapidamente mais graves.

 

Q.7 -  Esta questão é difícil de responder para qualquer pessoa exceto especialistas, tendo em conta que há milhares de espécies de polinizadores e centenas de causas para o seu declínio. Aqui estão as nossas opiniões sobre a importância relativa de algumas das ameaças:

 

 

1. Intensificação agrícola

___1.1 Simplificação das paisagens agrícolas (e.g. monoculturas) Muito Importante

___1.2 Aumento de pastoreio/corte de pastagens Importante a Muito Importante (mas é complicado!)

___1.3 Uso de fertilizantes Muito Importante

___1.4 Uso de pesticidas Muito Importante

2. Abandono de terras agrícolas Não é Importante (Talvez mais na Europa de leste)

3. Urbanização Importante

4. Poluição (incluindo poluição luminosa) Muito Importante

5. Espécies exóticas Importante

6. Doenças (e.g. patógenos, parasitas) Importante

7. Alterações climáticas Muito Importante

8. Outro Importante*

 

* Enquanto esta lista é boa, não é compreensiva; falta de proteção para polinizadores (e.g. nenhuma espécie de abelha foi incluída na Directiva Habitats e por isso nenhuma área foi designada para a sua proteção), desenvolvimento de sítios industriais (incluindo campos secundários rurais), eutrofização atmosférica, extração de turfa, e a falta de planos de ação para salvar espécies ameaçadas também contribuem para o declínio dos polinizadores.

 

Q.8 – Uma pergunta sobre os impactos na sua vida privada! Pense sobre a disponibilidade reduzida de fruta, maiores custos de comida e o prazer de ver abelhas, borboletas e vida selvagem próspera!

 

Q.9 - Uma pergunta sobre os impactos na sua vida profissional. Pense sobre os custos da produção de comida, a saúde do meio ambiente e os futuros riscos associados com o declínio dos polinizadores. Que impacto poderá isto ter para a reputação e funcionamento da sua organização?

 

 

Parte IV – Como parar o declínio dos polinizadores

 

Q.10 – ‘Não bem’ a ‘Não bem de todo’ – O declínio dos polinizadores é o resultado da política agrícola da União Europeia que falhou em proteger a vida selvagem. A recente iniciativa da UE de ‘greening’ tinha por objetivo beneficiar os polinizadores, mas acabou por ter efeitos negativos quando a UE decidiu à última hora permitir que fossem usados pesticidas nas áreas de foco ecológico. A UE falhou em garantir um aumento de fundos e recursos através da Política Comum Agrícola para financiar iniciativas de suporte aos polinizadores. Também não há nenhuma espécie de abelha na Directiva Habitats e poucos benefícios para os polinizadores através da Estratégia para a Biodiversidade da UE.

 

Q.11 – Esta pergunta está relacionada com o seu país (ou região) – Diferentes países têm abordagens diferentes, e apenas a Holanda, Inglaterra, Escócia, País de Gales, Irlanda, França e a Noruega têm planos nacionais para os polinizadores. É improvável que países sem um plano estejam a fazer um bom trabalho, e não há nenhum país que possa dizer que conseguiu reverter o declínio de polinizadores; por isso é difícil escolher uma opção acima de ‘Não bem’!

 

Q.12 – Muito – a todos os níveis! (Exceto talvez em algumas cidades– e.g. Urban Buzz)

 

Q.13 – Todas as ações mencionadas têm o potencial de ajudar. Aquelas destacadas em negrito são essenciais (i.e. ‘Muito importante’), as outras são importantes, talvez muito importantes, mas ou não são áreas onde a ação da UE é fundamental, ou existe o potencial de abordagens diferentes.

 

1. Avaliar e monitorizar o declínio dos polinizadores

2. Analisar as ameaças aos polinizadores e as consequências do seu declínio

3. Promover inovação na conservação de polinizadores

4. Proteger e restaurar habitats de polinizadores em áreas Natura 2000

5. Proteger e restaurar habitats de polinizadores em zonas rurais fora de áreas Natura 2000

6. Proteger e restaurar habitats de polinizadores em zonas urbanas fora de áreas Natura 2000

7. Avaliar os riscos dos pesticidas para os polinizadores

8. Implementar Controlo de Pragas Integrado

9. Combater espécies exóticas

10. Mitigar os impactos das alterações climáticas nos polinizadores

11. Reduzir poluição (incluindo poluição luminosa)

12. Proteger os polinizadores de doenças

13. Apoiar os esforços do sector privado

14. Criar incentivos no mercado para atividades amigáveis para os polinizadores

15. Envolver as comunidades locais

16. Apoiar a troca de conhecimento entre partes interessadas

17. Apoiar colaboração entre Estados Membro

18. Apoiar o desenvolvimento de estratégias locais/regionais/nacionais

 

Pesquisas recentes revelaram que a poluição luminosa pode resultar numa redução de polinização de 13% devido ao seu impacto em traças.

 

 

Parte V - Considerações finais

 

Esta foi a resposta da Buglife, mas se tiver tempo por favor inclua os seus próprios comentários:

 

“É essencial que a UE tome uma atitude forte e firme para reverter os declínios dos polinizadores.

 

No mínimo, isto deve incluir 1) a restauração de habitat de flores silvestres por toda a UE, 2) o redireccionamento de pagamentos da politica agrícola comum para apoiar serviços de polinização, 3) a reforma das regulações dos pesticidas para prevenir futuros impactos negativos às abelhas, e  4) o melhoramento da biossegurança do solo e do comércio de plantas de vaso.

 

Para ser possível avaliar se a UE conseguiu reverter o declínio dos polinizadores, é essencial que um programa de monitorização de polinizadores seja estabelecido, e que este seja sistemático, a longo prazo, e inclua vários grupos taxonómicos.

 

Esta é uma oportunidade para mostrar como a UE pode cumprir os seus compromissos ambientais, incluindo que " Os danos ambientais devem, como uma prioridade, ser corrigidos”.

 

Para mais informação sobre as ameaças aos polinizadores Europeus e soluções para a UE e Estados Membro, por favor faça o download deste relatório submetido pela Buglife e Butterfly Conservation Europe.

 

Matt Shardlow

 

25 Janeiro 2018

SHARE